UniFil -

Formulário de busca

cursos

Calouros de Engenharia da UniFil pintam muro de escola pública

Cerca de 150 novos alunos participaram de atividade solidária: compraram materiais e foram trabalhar para ajudar colégio


  A maioria nunca tinha passado por experiência semelhante: sair da sala de aula, pegar pincel, mexer com tinta e pintar o muro de uma escola pública. Por isso, ao final da atividade estava estampado no rosto dos jovens o contentamento por terem realizado uma ação solidária, cidadã, de grande utilidade para outras pessoas. Foi assim que os calouros de Engenharia Civil da UniFil receberam as boas vindas da coordenação e professores do curso.

Cerca de 150 estudantes, divididos em três grupos, arregaçaram as mangas e foram para o Jardim Itamaraty, dispostos a trabalhar em benefício do Colégio Estadual Dario Velozzo. O desafio começou antes, com a compra de tintas, pincéis, rolos e outros materiais, ao custo de cerca de R$ 700,00 rateados entre os próprios estudantes. No local da tarefa, nos dias 2 e 3 de março, o ambiente era descontraído e de integração: os alunos arrumaram a calçada e pintaram 150 metros de muro entorno da escola.

Pietro Veronesi, 18 anos, disse que não imaginava "botar a mão na massa" tão rapidamente no curso. "O legal é poder estar ajudando", afirmou, animado com a UniFil e o complexo de laboratórios de Engenharia Civil. "Estou surpreso, não esperava tanto", revelou. Rodolfo Moreira, 18 anos, também elogiou a atividade. "Fizemos vaquinha pra comprar os materiais e no trote solidário a gente se diverte e ajuda os outros." Filho do engenheiro civil Rosalmir Moreira, que já foi presidente da Companhia de Habitação (Cohab) de Londrina, contou que seu pai ficou muito satisfeito com a estrutura da UniFil. "É tudo novo, moderno", declarou.

Para a caloura Jéssica Vilela, 18 anos, de Bela Vista do Paraíso, a atividade na escola auxilia na interação entre os alunos e com prática profissional. Andressa Moreto, 17 anos, de Porecatu, e Jessica Queiroz, 18 anos, de São João do Ivaí, disseram que nunca tinham pintado. "Não sabíamos nem segurar um pincel de rolo. A experiência é bem gratificante, principalmente por estarmos ajudando, colaborando com a melhoria das condições do colégio", relataram.

Quem também ficou feliz com a atitude dos calouros foi o vizinho Pedro Nogiri, que mora há 15 anos em frente à escola. "Achei ótimo tudo isso que os estudantes estão fazendo aqui. O muro estava horrível e agora, com a pintura, a aparência fica melhor, a rua fica mais agradável", afirmou o morador, ao lado do neto Guilherme.

O diretor do Colégio Estadual Dario Velozzo, Paulo Sérgio Faganello, que também é docente da UniFil, contou que o muro tinha sido pintado pela última vez há sete anos. "É um benefício muito grande para a escola, dá outro visual, deixa o local mais agradável", afirmou, agradecendo e elogiando a disposição dos calouros de Engenharia Civil da UniFil. Além de cerca de 200 alunos, o colégio sedia o Centro de Apoio Pedagógico do Núcleo Regional de Educação, com profissionais que produzem material para pessoas com deficiência visual. "São textos em braile e gravações em áudio para auxiliar cegos e estudantes com visão reduzida", explicou.

A professora Adriana Patriota Faganello, dos cursos de Engenharia Civil e Arquitetura e Urbanismo, coordenou a atividade dos calouros e disse que a UniFil procura formar profissionais e também cidadãos com consciência política, ambiental, comunitária e cidadã. "É uma bela ação dos estudantes. Demonstra solidariedade e cidadania", ressaltou. Ela lembrou ainda que como falta mão de obra na construção civil, o trabalho dos alunos tem um valor ainda maior. "Possibilita à escola pública economizar com essa necessidade e destinar recursos para outros projetos", afirmou.


Imprimir